Sem categoria

Sobre a 1ª Conferência da Juventude Bancária de Moçambique

amjbconferenciamuhate

Tive o privilégio de participar na 1ª Conferência da Juventude Bancária de Moçambique, uma iniciativa da Associação Moçambicana de Jovens Bancários (AMJB) criada em Março de 2013, congregando jovens de diversas instituições bancárias de Moçambique. Este associação tem por objectivo servir de plataforma de ligação entre os anseios da juventude moçambicana e a banca bem como abordar questões relativas a classe dos jovens bancários.

A AMJB persegue os seus fins promovendo actividades de educação financeira, divulgando matérias sobre economia, finanças e banca, usando experiência e conhecimento para buscar soluções e resposta aos principais desafios da juventude moçambicana a todos os níveis da sociedade.

A I Conferência da Juventude Bancária de Moçambique debruçou-se sobre o papel da juventude bancária na promoção da inclusão financeira; soluções ao financiamento para o empreendedorismo juvenil num contexto de crise; o papel dos Bancos de desenvolvimento no financiamento à economia; os desafios para o desenvolvimento de carreiras e incentivos aos jovens bancários; a possibilidade de implementação do Fundo de Garantia Juvenil dentre outras matérias relevantes.

Em 2013 tive o privilégio de colaborar na criação da AMJB e sempre acreditei no potencial desta agremiação. O actual Presidente, o meu amigo Emílio Fernando foi das pessoas que sempre acreditou e persistiu no projecto AMJB, juntamente com uma equipe de jovens bancários vencedores que tornaram possível a criação da associação. De entre eles saliento de memória Aurélio Bucuane, Tomás Matola, Usma Mori, Edson Mahumane, Mariza Matano, Paulino Nhampule, Alexandre Daniel, Lena Herculano, Max Mazivila, Efrone Nhanala, Amândio Mussagy, Anésio Guambe, Huneiza Siddiq, Nelson Chinowawa e Sergio Munguambe.

Bem-haja AMJB. É assim que se reinventam os sonhos, criam-se novas utopias. É assim que se reinventa o pensamento económico de uma sociedade; com a pluralidade das ideias e dos âmbitos de concentração analítica.

 

Standard
Samora Machel

Samora Machel inspira a juventude Moçambicana

machel2

O 19 de Outubro remete-nos para os longínquos mas também tão próximos 30 anos atrás, quando em 1986 o avião presidencial Tupolev despenhou em Mbuzini, África do Sul matando o então Presidente da República Popular de Moçambique, Samora Moisés Machel e parte da sua comitiva.

Grande percursor do movimento associativo juvenil no Moçambique independente e mesmo antes disso, grande mobilizador popular e dirigente inspirador, Samora é hoje referência para a juventude moçambicana – a seiva da nação – pelos princípios e ideias que advogava.

Samora Machel continua a inspirar muitos cidadãos moçambicanos, africanos e do mundo em, desde Desmond Tutu, Nelson Mandela, Ronald Reagan, Margareth Thatcher, Thomas Sankara ou Sekou Touré, só para recordar algumas sumidades do mundo, até a mais nova criança moçambicana capaz de balbuciar as primeiras palavras.

Foi sua iniciativa quando a 29 de Novembro de 1977, fundou a Organização da Juventude Moçambicana (OJM). Ali surgiam os primeiros líderes juvenis do Moçambique pós-independência,  dentre os quais destaco Zacarias Kupela, Paulo Ivo Garrido, Alcinda de Abreu, Gabriel Pereira, Nuromomad Hassamo, António Alfredo Cuna, Arnaldo Paris, Beleza Fernandes, Andira Hamela.

Não há sombra de dúvida em relação ao impulso que Samora Machel deu à juventude daquela época em que liderou os destinos da nação. Hoje, a então liderança juvenil constitui o baluarte da sabedoria do país e fonte da sustentabilidade do partido de que sou membro.

O mundo rendeu-se e rende-se a figura de Samora Moisés Machel dados os valores que em nós todos incutiu e moldou a nossa forma de ser Frelimo: espírito de entrega, de sacrifício, de trabalho e da solidariedade. Por várias vezes, Samora disse que um verdadeiro patriota devia ser «primeiro no sacrifício e último no benefício».

O rico e inspirador legado do Presidente Samora Moisés Machel deve constituir para nós viventes, de fonte de inspiração para que as novas gerações, de quem se espera um contributo muito grande para levar de vencida a pobreza absoluta, possam cumprir com o seu dever patriótico nesse sentido.

Inspirados em Samora Machel forjaram-se vários líderes em Moçambique, nas mais variadas áreas do nosso quotidiano, pessoas honestas, íntegras, trabalhadoras, corajosas e determinadas nas causas que advogam.

A juventude moçambicana tem o desafio de imortalizar a vida e obra do Presidente Samora Moisés Machel, possa se entregar no estudo científico da sua obra e a sua consequente publicação e divulgação.

Samora Machel Vive! Salvé.

Basílio Muhate

 

 

Standard
Sem categoria

Benvindo

Benvindo

Sou Basílio Zefanias Muhate (nascido em 28 de setembro de 1979 em Chimoio), economista e político moçambicano  que servi como o presidente (secretário-geral) da organização juvenil do Partido FRELIMO, Organização da Juventude Moçambicana (OJM), e sou membro do Comité Central do FRELIMO desde novembro de 2010. Estudei Economia na Universidade Eduardo Mondlane (UEM) e sou membro da Associação Moçambicana de Economistas (AMECON).

[googleaa3dcaaddaac5a69.html]

Standard
dicas de poupança, economia domestica, Financas pessoais, poupança de agua em Moçambique

Dicas para uma melhor poupança de água potável

drinkingwaterr
Muitas vezes somos deparados com restrições ou agravamento da tarifa de água potável em Moçambique, ao longo dos tempos. O aumento de tarifas de água normalmente acompanha a subída do nível geral de preços, agravam-se os preços de combustíveis, da energia electrica e do cimento, produtos estes que afectam significativamente os preços dos produtos de primeira necessidade.
Em média as pessoas gastam enormes quantidades de água diariamente: um banho rápido pode despender entre 50 a 80 litros de agua, uma descarga de autoclismo consome cerca de 10 litros de agua, 100 litros para lavar roupa na máquina e cerca de 50 litros numa lavagem de louça na máquina. Poupar agua deve constituir uma acção economica e também ambiental.
Os últimos dias não tem sido muito saudáveis financeiramente para os agentes económicos e para os cidadãos no geral, por isso seguem-se algumas dicas de poupança de água potável para que a factura seja menos alta no final do mês e assim contribuir para as poupanças pessoais:
  • Mantenha as torneiras e o sistema de canalização em bom estado para evitar fugas e desperdícios de água.
  • Existem a venda em algumas ferragens redutores de fluxo, para colocar nas torneiras e reduzir a quantidade de agua que sai.
  • Enquanto escova os dentes, enquanto esfrega as mãos com sabão, trate de manter a torneira fechada e evite no máximo os banhos de imersão.
  • Uma garrafa de agua plástica cheia de agua colocada no depósito do autoclismo reduz a quantidade de cada descarga.
  • Verifique devidamente as perdas de água habituais no autoclismo. Ponha umas gotas de corante no depósito: se vir água corada na sanita sem ninguém ter puxado o autoclismo é porque existe uma fuga;
  • Se tiver máquina de lavar loiça, opte por usa-la ao inves de lavá-la a mão. Programe a máquina para o horário mais económico do dia.
  • Se não tiver outra solução a não ser lavar a loiça à mão, nunca o faça com a água a correr. Encha o lava-loiças e tenha a torneira fechada enquanto ensaboa a loiça. É muito mais ecológico;
  • Aproveite no máximo toda a agua que sai pelas torneiras sem utilidade, pois pode ser usada para limpar o chão, para regar plantas, etc.
  • A água da chuva pode ser aproveitada em tempos chuvosos, para os mais variados fins.
Standard